Envie sua história:

A iniciativa

Já faz algum tempo que o projeto de ensaios sensuais masculinos Sereno Fotografia incentiva as pessoas à enviarem os seus textos para serem publicados aqui no site. Se você nunca viu os textos enviados pelos leitores do site, acesse agora mesmo esta página para dar uma olhada.

Para quê serve esta iniciativa? Serve para que cada vez mais pessoas se sintam confiantes de compartilhar um pouco de sua história e assim incentivar milhares de outras pessoas a se amarem mais e perceberem que ninguém precisa ser escravo de padrão de beleza, afinal, padrão é tudo igual e o que queremos por aqui é a diversidade.

Quer enviar o seu texto também? É simples! Envie a sua história para o e-mail guilhermemarquesphoto@gmail.com com algumas fotos suas. Não se esqueça de escrever “MINHA HISTÓRIA” no assunto do e-mail. Se preferir você também pode usar esta página para enviar o seu texto!

O Aleff Lavoisier enviou a sua história!

“Tem uns 6 anos que cuido minimamente do meu corpo para não engordar exageradamente e nem retornar ao corpo que possuia antes, porque pelas criticas acabei por moldar meu corpo para reduzir as coisas pelas tinha de passar na minha rua e ambiente escolar.
Emagrecer e engordar foi algo muito constante desde que me entendo por gente, veio estabilizar mais ou menos em 2012, quando decidi que não iria comer demais porque me sentia triste e nem emagrecer pelo mesmo motivo. Se um dos dois eu tivesse de ser, seria porque eu contive meus medos e ansiedade, para ser como devesse.
Envie a sua historia para o projeto.
Acabou por se tornar meu corpo ideal, onde eu gostava e também tive mais tranquilidade em minha vida. Mas a mudança veio especialmente porque eu precisava disso. Não me encarava no espelho como alguém que se amava de verdade. Em muitos desses dias, nem me olhava mais, porque não me interessava a imagem diante de mim… Me passava traços inaceitáveis e um garoto totalmente desacreditado.
Se hoje tenho um certo controle sobre meu corpo, é porque sei que alguns momentos não são pra ser revividos se você não tá pronto para encarar de outra maneira. Hoje me permito ganhar uns quilos, me olhar no espelho e não me odiar por isso, porém meu corpo se adaptou e eu também aos limites pelo meu próprio bem, que se resume a como me vejo e não mais ao outro.
Envie a sua historia para o projeto.
Esse não é um texto contra gordinhos, até porque amo e nunca me tornei o tipo magro “perfeito”. ANTIGAMENTE, eu não gostava, confesso, não me atraía por gordinhos e em mim odiava as gordurinhas que ainda carrego. E sinceramente, agradeço por minhas dietas loucas, emagrecimento repentino a ponto de questionarem se eu estava saudável ou não, não ter tirado essas gordurinhas de mim.
Envie a sua historia para o projeto.
Através delas vi alguém com sua vida, mesmo longe de exercícios físicos, (apesar de que faz bem) ir se transformando diante de si e dos outros, com auxílio de amigos a distância e um pouco de vontade, ir atrás de uma identidade onde se sentisse feliz. Porque eu acredito nisso: precisamos mudar de corpo, de fé, de casa, cidade, amor, amigos sempre que isso for o melhor pra nós. E aprendi a aceitar que nada dura pra sempre, nem mesmo esse meu pensamento que mudou tanto nesses 6 anos. Aprendi a olhar com aceitação todo tipo de fé, mas não a interferência na liberdade de expressão do outro, seja no tipo de corpo, religião e sexualidade que é tão amplo e diverso desde sempre, basta apenas pensar dentro, fora e além da caixa pra aceitar cada um como é ou incentivá-lo pra onde ele se aceite e se ame acima de tudo.
Envie a sua historia para o projeto.
Não tem só pedras nesse mundo, há flores para colher. Por isso nunca desisti, pois descubro constantemente pessoas bem intencionadas a espalhar a aceitação pelo mundo em conteúdos diversos, o que é muito saudável pra nós que vivemos por vezes entediados e inseguros com informações que recebemos da tv e ridicularização social. É uma espécie de Yin Yang que precisamos lidar para viver, achar o ponto de equilibrio para a paz em nossas escolhas.
Tem outra coisa que acredito: Quem se ama acima de tudo, sabe amar melhor. Porque quem tem o sentimento como uma raiz profunda se espalhando no interior, aceita a paz com o corpo e o ser livre do outro. E com isso também aceita que o outro vai ou fica o tempo que for necessário pra somar a nossas vidas e não apenas ocupar espaço.
Não enxergo mais nada como fútil ou chocante demais, porque tudo é forma de expressão
e nem tudo precisa ser pela cultura, algumas coisas precisam ser pra nos divertir e aliviar nossas mentes e corações, nos fazer rir de coisas bobas com aqueles que compartilham conosco essas coisas.
A arte é bem mais que quadros importantes na história, que peças supervalorizadas, apesar de lindas. Mas a beleza delas é o retrato dos dias, o passado, a história, o mundo, os lugares, tudo o que há e ainda é nosso. Através da arte, vemos que o mundo é diferente e igual em proporções diferentes, mas há sempre beleza suficiente pra ser retratado, pra se mostrar que existe.
Por isso que a arte nos acompanha e não se perde no passado e nem se limita aos modelos, lugares e superprodução, mas também tá visível no espelho diante dos nossos olhos. Aprendi a me ver dessa maneira no espelho e não me julgar menos do que igual e diferente;
Igual em dignidade e diferente fisicamente, mas satisfeito com tudo que tenho hoje. Grato inclusive a essas coisas que me derrubavam, mas foram apenas momentos e aprendi a não desistir tão rápido com isso. Alguns não entendem, mas só desisto das coisas que realmente não quero ou não preciso para mim, embora vejam como crucial, mas só eu conheço os caminhos por onde ando e onde preciso estar pra ser quem eu sou.
Eu aceito meu fisíco, meu espirito, meu eu, porque zelo por tudo que pra mim é sagrado em mim: meus sentimentos, meus amigos, meus familiares, meu angulo de vista abrangente, minha paz, minha dualidade, meu amor. As vezes tenho tanto medo, mas também aceito isso, como todas emoções… Isso me torna humano.
O espelho mostra mais que nosso rosto, porque quando você não olha apenas pra fora com elogios, criticas ou apenas pra se arrumar, você enxerga suas histórias vividas e se sente feliz por cada marca na pele, pelas lágrimas que caíram pra carregar o sorriso que tem hoje.
E se olhar quando tá triste também, e ser seu próprio amigo e se apoiar ao invés de denegrir a própria imagem para si é tão lindo quanto sorrir; Saber olhar com gentileza para cada parte do corpo ao tomar banho e a cuidar da própria pele, porque ela carrega toda sua arte onde quer que esteja. Pois somos todos parte de um quadro bonito e diferente de ser visto.
E a câmera que filma os nossos dias, enquadra apenas um momento pra recordar e compartilhar, mas a nossa presença é vida e bela, presente aqui, no universo e amada por quem gosta da nossa imagem. E o processo fotográfico é o que tem aberto as portas para mim desde o principio, a começar por colocar meu rosto a amostra que escondi em meu Facebook por anos, mas com um pouco de ajuda, comecei a tirar algumas, depois a sorrir de novo depois de anos, depois libertar meu corpo, meu sexo.
Sinto que sou um pouco de cada um que me ajudou, por isso acredito na força da arte e de tudo isso aqui. Há algo mais bonito que ser um incentivador de pessoas? E é bonito porque não é pro consumismo, nem pra metas materiais ou por dinheiro, é ativar todos os sentidos, se reconectar a própria vida, mergulhar dentro de si mesmo.
Não devemos nem por um segundo pensar em desistir de inspirar a viverem a realidade que torna feliz, para ceder a pessoas que ainda não trilharam caminhos de respeito humano. Liberte-se das amarras, seja livre para você mesmo e vai descobrir dia após dia, que isso vai te ajudar a se olhar de maneira mais bonita.
Ah! Você é uma obra de arte maravilhosa, não esqueça disso.”
– Aleff Lavoisier
Deixe o seu comentário!