Se Olhe No Espelho

Se olhe no espelho – As inseguranças

“Se olhe no espelho” é uma daquelas dicas que mais mudaram a minha vida e o meu relacionamento com a minha imagem. Eu não brinco quando digo que já tive problemas com minha imagem e minha autoestima. Quando rompi com meu namoro eu encontrei um Guilherme completamente sozinho e desamparado. Um Guilherme que agora tinha que começar a ser sozinho, e para isso precisava gostar da própria companhia. Mas como fazer isso quando a pessoa não consegue sequer se olhar no espelho sem sentir ansiedade?
Ver o meu reflexo em qualquer superfície reflexiva era uma das coisas mais angustiantes pra mim. A primeira coisa que meu instinto me obrigava a procurar eram os meus defeitos. Aquela barriguinha causando uma notável tensão no tecido da camiseta… postura desengonçada… aquele cabelo que eu tentava tão desesperadamente alisar… aqueles leves trejeitos femininos que eu tinha pavor que as pessoas descobrissem…
Ver meu reflexo era sinônimo de ver tudo isso e mais um pouco. Cheguei a ter algumas crisesinhas de raiva e ansiedade. Por algum tempo tampei os espelhos do meu quarto para evitar cair no choro caso eu visse o Guilherme que ali se escondia.
Mas em um determinado momento eu senti um forte estalo e pensei: “Pera… Preciso saber encarar isso…
Fotografia e autoestima. O poder dos autorretratos.

Fotografia e autoestima. O poder dos autorretratos.

O momento de sair da inércia e agir

Reunindo toda a força e coragem que eu consegui, destapei um dos espelhos do quarto e decidi encarar aquele Guilherme que eu tinha tanto medo de encarar. Vi ali tudo que tinha medo de ver. Vi ali todos os meus demônios e meus defeitos.
Vi ali um Guilherme viado, gordo, desengonçado, afeminado e de cabelo alisado que me encarava de volta com os olhos vermelhos. Em seu olhar, aquele reflexo demonstrava um silencioso pedido de socorro. Um pedido para desaparecer e nascer diferente, em um corpo que as pessoas pudessem desejar. Coisas simples como usar uma camiseta regata eram uma tortura. Ir à praia então, não preciso nem comentar.
Pode parecer besteira ou não muito efetivo, mas há um exercício que eu fiz por muito tempo e que começou a modificar a forma como eu me via, e quero deixa-lo como a terceira dica desta série: Se olhe no espelho e diga palavras de carinho e amor para você mesmo. Diga para o reflexo que você o ama. Diga a você mesmo que tudo bem ser como você é. Pode parecer brincadeira, mas as palavras possuem um poder muito forte. Já dizia Dumbledore que “Palavras são nossa inesgotável fonte de magia, capazes de causar grandes sofrimentos e também de remediá-los”.
Olhar no fundo dos seus próprios olhos talvez lhe cause alguma sensação incômoda. E se causar, este exercício se faz mais necessário ainda em sua vida. Ao olhar no fundo dos seus olhos, diga que se ama e que tudo bem ser do jeito que você é. Diga que está tudo bem, e que pode ficar em paz. Diga o que vier à sua mente. Elogie o que acredita ter de bonito.
Se olhe no espelho. O poder do autoconhecimento na nossa autoestima.

Se olhe no espelho. O poder do autoconhecimento na nossa autoestima.

Não adianta nada praticar apenas uma vez

Não só esta, mas todas as dicas que quero colocar neste causam efeito se praticadas todos os dias. Torne isto um hábito para você. Se olhe no espelho. Permita-se ficar alguns instantes na companhia do seu reflexo. Encare-o. Com o tempo, comece a encarar suas “imperfeições” e comece a perceber que elas fazem parte de você. Se você é cristão, tenha em mente que Deus nos fez à sua imagem e semelhança. Ele nos fez perfeitos, e “imperfeições” são invenções humanas. Estas invenções humanas servem para que nos sintamos mal com nós mesmos e que queiramos consumir produtos que nos prometem “felicidade instantânea”.
Se nascemos assim, somos perfeitos assim. E você? O que acha dessa loucura toda? Se identifica? Acontece com você também? Tem outras dicas para passar? Achou tudo uma bosta? uehuehe Comenta aí! Deixe sua opinião! E venha se jogar em um delicioso ensaio fotográfico!

E ai? O que achou?

Não se acanhe. Deixe seu comentário! Conte um pouco sobre a sua história. E não se esqueça de compartilhar este blog nas suas redes sociais para que cada vez mais pessoas possam se amar e se aceitar mais! Venha curtir a minha página no Facebook! Não se esqueça também do Instagram! 😉
Deixe o seu comentário!